sábado, 11 de dezembro de 2010

Quando foi que eu mudei?

   Para ser sincera, na última vez que me olhei no espelho, ainda hoje pela manhã, foi que eu percebi a minha mudança de verdade. Quando dei por conta, a minha voz tava mais guardada e os meus ombros estavam mais fortes. Mas como tudo nessa vida tem os seus prós e contras, com a mudança não seria diferente, tampouco a minha.

   Tinha parado de sonhar. Percebi que sonhos na maioria das vezes permanecem no campo da imaginação. Não que isso seja ruim, apenas não me bastavam mais. A parti daí comecei a criar objetivo e determinar metas para chegar aonde eu queria. Foi quando comecei a me sentir realizada, viva.

Tinha parado de falar. No meu caso, falar demais apenas apontava os problemas, os defeitos. E nesse meu novo momento eu precisava de soluções. Foi quando fechei a boca e arregacei as mangas, e meus braços então, passaram a trabalhar sem cessar. Foi quando comecei a notar que as soluções podiam existir, dependiam apenas de mim.

   Tinha parado de chorar. Além de ter pavor ao envelhecimento precoce, chorar servia apenas para limpar a alma. Só que eu me dei conta, que todas as vezes que eu me desfazia de algo me tornava mais vazia. Então resolvi organizar as coisas dentro de mim. E os meus fracassos foram extremamente úteis para me mostrar onde estava o erro, e me davam a chance de consertar as coisas. Passei então a sorrir,e agradecer as circunstâncias por me oferecer a oportunidade de (re)fazer tudo e aprender mais.

Havia sonhado muito, falado muito, e estava chorando muito. A mudança é a lei da vida, e eu melhor que ninguém estava sabendo disso. Mas sabe qual foi o contra e a pior parte da minha mudança? Foi que eu precisei perder aquilo que eu tinha de mais precioso, para perceber que a hora de mudar já havia passado. Mas eu que estou quase que completamente mudada, comecei a enxergar minha maior perda de outra forma. Porque como eu já tinha desconfiado, na maioria das vezes que a gente perde, a gente ganha. E eu tinha ganhado algo: maturidade.

sábado, 27 de novembro de 2010

Uma verdade nua e crua


       Eu sei, talvez a maior parte da culpa seja minha, por sentir a tua falta, por querer ficar perto mais um pouco. É egoísmo meu te querer só para mim. Mas é dessa louca aqui que você gosta. Da controladora de situações que faz questão que tudo saia à maneira dela. Da menininha insegura que toda vez que está em apuros te liga implorando socorro. E não da adolescente que você ensinou a ser mulher. A ter uma postura mais segura e decidida. A olhar de cabeça erguida e manter a espinha ereta. Da mulher emocionalmente estável, independente e indiferente...
     - Ei, mas  foi você que me fez assim, lembra?! Então tente não ficar mal quando perceber que o seu plano de me ajudar a manter um relacionamento estável, está dando certo. O que você não esperava é que fosse se apaixonar por mim. Não pela nova menina que você ajudou a criar, mas pela menina que eu era quando te conheci. Você me gosta assim, cheia de defeitos, de manias, das minhas conversas intelectuais sobre política, cultura, crise da bolsa de valores. Você gosta da maneira com eu dividia um sorriso com algumas lágrimas quando fracassava. Do meu jeito de arrancar piadas irônicas até nas piores situações. Gosta mais ainda da minha capacidade de superação e da minha necessidade de você. Você gosta dos meus planos utópicos e de quando meus olhos brilham quando eu conto algum desejo futuro. Interessante é que você discorda de todas as minhas ideias loucas, mas o que eu nunca consegui entender  foi o porquê de você nunca ter saído do meu lado... Agora me diz se você não amasse a mim e aos meus defeitos, por que essa mania tão grande de me proteger? Por que esse medo de me deixar cair? Não é você que sempre dizia que eu precisava amadurecer sozinha? O que você não admite é que esse teu jeito machista de ser não funcionou nenhum na hora de impedir que você me amasse. Você foi a primeira pessoa a dizer que eu necessitava encarar as situações, no entanto, foi primeira também a fugir quando se viu perdidao de amor pela última pessoa no mundo na qual você gostaria de amar . Talvez você não queira se perder para não correr o risco de se encontrar em mim. Mas meu amigo, aprenda de uma vez por todas que ninguém é perfeito e a vida é assim. E não vai adiantar você fugir, que se for do meu destino e o do seu, não vai existir continente suficiente capaz de nos separar. Aprenda vá.



quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Cadê você?

      Você me dá paz. É deliciosa a certeza de te ter, mesmo quando não estamos juntos, quando eu passo o dia na correria do trabalho, tendo que conciliar meus planos para o futuro com o presente. Juntando na mesinha de estudo do meu quarto os livros tirados da estante que gritam por mim, implorando para serem lidos. Os artigos científicos que eu preciso escrever, o curso de língua estrangeira que eu preciso concluir, os milhares de sms que a minha chefe manda, ordenando que eu adiante o trabalho. Tudo isso não me faz esquecer de você. Quando chego em casa, encontro a pia de pratos sujos, o gato com fome, a cama desarrumada, daí eu respiro fundo, fecho os olhos e o máximo que eu consigo fazer é tirar os meus sapatos, jogando-os em algum canto da sala junto com todo o meu material de trabalho, entrar no banheiro e nesse exato momento pensar em você. Como seria bom ver você com essas suas manias psicóticas de extrema organização, brigando porque esqueço a calcinha molhada pendurada no box do banheiro, recolhendo as minhas bagunças e resmungando que eu não tenho mesmo jeito. Que saudades de você. Do seu jeito britânico pontualíssimo e organizado de ser, das suas piadas inapropriadas, da sua carência demasiada. Que saudades de você, mas que dia corrido... Deito na cama, olho para o relógio, vejo que já passou das onze e que nessa altura do campeonato você estaria dormindo. Fico na ânsia de mandar uma mensagem, mas temo em te acordar. Então olho para os trabalhos acumulados, penso em terminá-los o mais rápido possível, para que junto com eles a semana acabe e eu possa te ter  e te ver de novo. E antes de adormecer por completo, fecho os olhos e tudo que eu desejo é te ter mais ao meu lado, nem que seja na hora de dormir. 









segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Auto-retrato contado

         Para ser sincera, nada me agrada demais. Ao tempo em que faço parte de um tudo, pertenço ao nada. Não há nada em mim, nem ninguém. Sinto-me fora de um mundo que eu própria criei. Estou sempre em busca de uma verdade, e toda vez que acredito que a encontrei, ela trata logo de mudar de face, de fase. E eu volto à estaca zero. Quando me sinto fora de algo, trato logo de entrar. Não para pertencer a ele, ou ele me pertencer. Apenas para observar. Acho que sou isso: um ser observador. Pronto, talvez essa seja uma definição ideal para a minha pessoa. Sabe, acho lindo e grandioso a beleza desarmônica de cada ser. Nada é perfeito, pelo menos ninguém é. E mesmo assim, as pessoas me encantam. Mas esse encantamento dura um breve instante. Logo em seguida, me canso. As formas como as pessoas vivem as suas vidas, essas verdades incertas e incoerentes que elas insistem em gritar aos quatros ventos, isso tudo me torna preguiçosa e desanimada. Daí, para não me entregar  ao vazio existencial , tento achar algo em comum que entre mim e elas, porém mal consigo achar algo em comum comigo mesma. - Quem sou eu? Pergunto-me! Essa dúvida cruel que não me permite ser algo, sem antes saber ao certo o que esse algo é, faz com que eu fuja para dentro de mim mesma. E fujo. Ao fugir crio obstáculos e barreiras para que ninguém invada a minha introspecção. Daí começo a me deparar com um vastidão de coisas que absorvi durante tanto tempo, e que não me acrescentaram nada de grandioso e puro. Desespero-me e tento fugir de mim mesma. Mas não há como. As barreiras e os obstáculos que eu criei não me permitem . E eu acabo me devorando e me tornando a minha própria predadora.

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Acorda amor!

[...] Logo assim que me acordei, meio sonolenta ainda, pude ter a certeza que sonhos não terminam necessariamente em finais felizes. E que muitos deles acabam se tornando pesadelos. Após me recuperar do medo que insistia em permanecer no meu peito de que aquilo nunca teria fim, um doce anjo sussurou alguma direção aos meus ouvidos. Me dei conta que a madrugada enfim havia acabado. Abri a janela do meu quarto, deixei que a luz do sol penetrassem em meus olhos e os cantos dos pássaros enobrecessem minha alma. Sim, um novo e lindo dia voltava a brilhar para mim.



Parece que a cada nova e antiga frase que eu formo, que a cada parágrafo que eu crio, meu peito esvazia mais a dor. A minha arte é a minha fulga, a minha fulga é a minha realidade.

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Para aliviar a dor.

      Tudo passa, tudo sempre passará. Mas se isso não passar, quem vai acabar passando sou eu. Passarei por cima de tudo e para frente, de cabeça erguida e peito estufado. Não estufado de ódio ou rancor. Estufado de esperanças! Hei de me glorificar. Toda madrugada tem seu fim e o sofrimento eu sei que é opcional. Eu posso ficar sentada olhando o mundo desmoronar, posso chorar, lamentar,crucificar o Cristo mais uma vez... Mas não, não há de ser nada. Meus sonhos ainda não morreram, e não vai ser agora que eu os deixarei em coma induzido.
      Sabe, a vida foi generosa comigo. Olhem bem para mim, mesmo não tendo nada, eu tenho tudo. Tenho uma mania estranha de ter fé na vida, e isso é o que faz meu pulso ser mais forte. Não acredito muito no acaso. Mas sei que só eu tenho o poder de construir meu futuro. E concretizar os sonhos que trago no peito. Existe coisa maior do que eles? Só o amor, esse amor imenso que eu carrego dentro do peito, por uma humanidade que nem sequer ainda me conhece. Eu me amo de verdade, os amo tanto que sou incapaz de me entregar assim: sem nada em troca.



Ps: Eu não vou chorar. Melhor, eu vou chorar sim! Preciso lavar a minha alma, preciso dela intacta para prevalecer o que há de mais bonito em mim. Nunca precisei tanto de mim mesma. Agora, logo agora não posso falhar. Tou bem, se não estou, vou ficar! Muito obrigada, meu leitores, obrigada pela força, pelo apoio e o carinho. Obrigada por me darem a chance de transformar meu sentimento em arte! Sabe quando falam em sexto sentido? Pois é, a escrita é o meu.

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Por onde anda a minha paz?

   Há mais um inverno para vencer. Mas dessa vez a tempestade veio forte demais. Eu queria sumir, não sei se aguento passar por isso outra vez., depois de tantas outras. Acho que ao invés de ter conseguido ficar mais forte com tudo isso, fui ficando mais fraca. Como se tirassem algo meu a cada discussão, a cada baixaria. E deveras tiraram. Tiraram a minha paz. É realmente uma pena que as pessoas tenham esse poder de se auto-destruir. O grande problema  é que eu estou nesse barco também, e eu já estou submersa de mágoas e rancor. Vou morrer afogada, cheia de uma vida de poucas graças. Eu nunca soube bem qual o meu limite, mas pelo que eu estou sentindo ele chegou ao fim. E que a vida me desculpe, por até agora eu não ter tido o prazer de conhecê-la. Mas conheço bem a sobrevida e dela eu não gosto nenhum pouco.





Considerações finais:
Ai, não estou bem. Estou emocionalmente confusa e isso me assusta bastante. Eu que sempre fui muito equilibrada, parece que agora me perdi de vez. Depois de ter enfrentado tantas separações dos meus pais, parece que essa última me consumiu por completo. Eu não estou me sentindo, não consigo nem respirar direito. A coisa foi e tá feia. Eu preciso agir, entende? Que essa minha maior idade sirva para alguma coisa além de entrar em boates. A vida me tornou "adulta" muito cedo. Não a culpo. Tampouco vou me fazer de coitadinha. Sei que nada é por acaso, que tudo passa, mas essa dor tá demorando 18 anos a passar. Aonde é que perderam a minha paz? Preciso encontrá-la. Obrigada por me darem essa chance de desabafar. Pode parecer efusivo, mas vocês super me dão forças. Agradeço muito, fiquem em paz.

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Au revoir.

Vai passar. No fundo eu já sabia que isso ia acontecer mesmo. Na primeira semana doeu demais, achei que eu fosse morrer, me acabar. Tava inconsciente, estática, imobilizada. Sei lá, eu tava, mas não tava. Na verdade tava era perdida. Na segunda semana doeu menos, mas continuou doendo. Meu coração sangrava de um jeito que eu achei que nunca mais fosse parar. E na quinta semana ele parou. Não de sangrar, parou mais de bater. Batia apenas para me manter viva. O nosso mais que perfeito amor tinha se desfeito. Você errou e eu estou errando agora. Nós que já perdemos tudo que havíamos construído, estamos perdendo agora a noção do tempo e do sentido. Eu sei que você vai embora, sei também que isso vai demorar. Eu já estou caindo fora, mas por ter tanto misturado minhas pernas com as tuas, já não sei com que pernas devo ir. Eu te tinha com escudo, tu eras meu protetor, teu rosto era tão lindo que não cansava de admirar. Quando pude enfim segurar tua mão, baby, já não sentia mais medo em mim. Mas agora não, sentimentos confusos me invadem tão intensamente como o teu amor me invadiu. Gostaria muito de dizer que para sempre seremos bons amigos, mas eu não conseguira mentir . Foi fatal e o nosso “faz de conta” termina assim. Tudo que eu mais quero é sumir no mundo sem te avisar, e deixar a vida fazer o que quiser de mim.





Adoro contemporaneizar, e tem pessoa melhor que o meu Chico? Não.
Estava pensando num relacionamento de um casal de amigos meus, e acabou saindo esse texto. Ultimamente
estou perdendo a criatividade para títulos, estou com a impressão que eles tão se repetindo...
Beijos leitores fofos! :*

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Mesmo que mude



É sempre amor mesmo que mude
Mesmo que o tempo passe
E a ferida não cure

É sempre amor mesmo que mude
Mesmo que os caminhos se descruzem
Que a pele não se toque,
E os lábios se desgrudem

É sempre amor mesmo que mude
Mesmo que os amantes se percam
E encontrem novos amantes

É sempre amor mesmo que mude
Mesmo que a tempestade não passe
Que a boca se cale
Que a distância afaste
Que as lembranças se percam
Que os vazios se tornem mais vazios
Que o peito aperte
E o coração se conforme
É sempre amor mesmo que mude
Vai ser sempre amor mesmo que a gente não dure.



domingo, 26 de setembro de 2010

É para falar de amor?

Quando eu te encontrei, eras tão marcados quanto eu. Tinhas aprendido a sofrer, e a desilusão te tornou "homem". No sentido pejorativo na palavra, quero dizer. Encontravas-te frio, e só o momento importava. Para você nada mais fazia sentido, só o viver. Nenhuma das outras tinham valido a pena. Eu deveria ser mais uma delas. E com essa crença ridícula, você me tratou como mais uma. Sem antes saber quem eu era deveras e o que queria. Sabe, como eu já havia dito, também fui muito marcada. Mas o desamor não me tornou vazia, pelo contrário, mesmo com meu jeito desdizendo meu real querer, no fundo eu só queria te amar. De verdade. Nada de paixonites passageiras que a vida só havia até então me apresentado.
Você no primeiro momento concordou, jurou. Da boca para fora e eu bem já sabia. No segundo momento percebestes o quanto tavas errado e que havia me julgado pelo teu bel prazer. Pra ser sincera, eu sei que você sempre soube quem eu era, mas tinha medo de se enganar.
“Que mané se entregar”, não é mesmo? Eu também não queria, sabia? Tive medo, tive tanto medo que fiquei imobilizada ao ponto do destino fazer o que ele bem quisesse. E ele fez. Olhe bem para nós. Se antes éramos mentiras, agora somos fatos. Hoje eu ainda tenho medo de dizer... Sei lá, essa vida é tão louca, que eu temo que tudo que eu fale seja clichê, coisa de casalzinho apaixonado, entende? Mas tudo bem, eu já dei minha cara a tapa várias vezes mesmo...
Lá vou eu: eu quero ser tua tatuagem, quero que o tempo passe e que eu fique. Quero ser tua boa lembrança e o amor inesquecível, quero ser a única verdade que carregas na vida, quero ser o impossível. Quero ser o teu sorriso antes de dormir e o primeiro número de telefone que vem na tua cabeça. Quero ser teu peito apertado e logo em seguida aliviado. Quero ser tua razão e a tua emoção. Quero ser a tua menina, a tua pequena, a primeira e única que rabiscou o teu corpo todo . O meu amor não tem pressa, nem tempo determinado. E que se um dia outras te amarem, usarão quem sabe, todo amor que um dia eu deixei para ti. Mas saiba, que eu sempre beijarei o teu retrato e estarei de braço abertos para te receber.


Eita lelê que eu tou para lá de romântica! Mas como eu já havia dito no meu twitter, o amor é lindo para caralho, e que me perdoem a expressão. As paixonites são tão intensas quanto fugazes, e eu hoje eu posso dizer, tou dispensando todas. No fim elas sempre fazem mal, já o amor não, mesmo sem a união ele nunca tem final!
Fiquem em paz, meus leitores, bom começo de semana!E vou (tentar) parar com minhas rimas pobres! haha, Amo vocês, juro!

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Voltou pra ficar!

Numa tarde de domingo, sim foi a última vez que a vi. Deixamos escapar alguns singelos sorrisos, a nostalgia falava alto, antes mesmo que ela partisse. Num breve espaço de tempo nós rimos, dançamos e nos divertimos como se fosse a última vez. Fizemos juras eternas, ela me prometeu retorno e eu prometi esperá-la. A única lembrança que restou daquela tarde, foi o balançar dos seus cabelos acompanhando a dança que o vento fazia. Então ela se foi. Não pude evitar. Ela se foi. E eu fique só com minhas pequenas armas e grandes elefantes para matar. Achei que ali seria o meu fim. Como conseguiria matá-los sozinha? Afinal, ela me prometeu apoio eterno! Passei o resto dos meus meses à esperar. Voltava sempre ao mesmo lugar, porque a brisa me permitia uma fugaz lembrança do seu perfume e então eu chorava. Chorava de saudade, por ter construído uma vida tão completa e tão vazia. E agora ela voltou, e eu voltarei ao seu colo. Poderemos então cantar novamente, dançar como loucas e rimos até que me coloquem em um buraco.


Gente, vocês não fazem idéia do quanto eu tou feliz. Minha melhor amiga voltou a caminhar junto comigo. Foi imenso o sufoco e a tristeza que eu passei quando o seu EX namorado, a afastou de todo mundo, e o pior de mim. Mas como dizia aquela frase: Amizade é o amor que nunca morre. Amores são como chuva de verão, amizade quando bem cultivada gera bons frutos eternamente! Bom começo de semana!
Beijinho pros meninos do Anseio Coletivo! Lucas querido, você é um fofo. Sucesso imenso a banda!

xoxo :*

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Se ex fosse bom não era ex?

Ela: Oi, a gente precisa conversar.
Ele: É?
Ela: É.
Ele: Qual foi dessa vez?
Ela: Você sabe bem.
Ele: Sei de nada não, conta aí...
Ela: Eu tenho nojo e pena de você.
Ele: Que nada, no máximo você tem raiva de mim.
Ela: Não. É nojo e pena mesmo.
Ele: Por que?
Ela: Porque quem tem raiva de alguém,
ainda cultiva qualquer sentimento que seja por essa pessoa.
Ele: E nojo e pena não são sentimentos?
Ela: Não. Nojo e pena são sinônimo da completa ausência de amor.
Ele: E por que você me procurou para contar isso?
Ela: Porque você precisa entender de uma vez por todas, que eu não te amo.
Ele: Você se importa muito em deixar isso claro para mim!
Ela: Deve ser porque você custa a entender.
Ele: E por que esse sorrisinho no rosto?
Ela: Porque é divertido!
Ele: Eu quero ri também, me conte a piada da vez.
Ela: A piada da vez é você!
Ele: Não vejo graça nenhuma...
Ela: Confessa que você quebrou a cara quando me viu escapando pelos teus dedos...
Ele: Eu não.
Ela: Vai dizer que tu não desconfiavas?
Ele: Do quê?
Ela: Que toda vez que eu dizia que ia embora para sempre, era verdade.
Ele: Não, no fundo eu achava que isso nunca fosse acontecer. Mas
de certa maneira não aconteceu, né?
Ela: Aconteceu sim! Só você não percebe!
Ele: Você se foi... Mas porque tá aqui na minha frente?
Ela: Pra ter a certeza que você vai chorar.
Ele: Homens não choram!
Ela: E que lágrima é essa escorrendo pelo teu rosto?
Ele: É só dos olhos pra fora.
Ela: Engraçado, sabia que você iria falar isso.
Ele: É? Adivinha o que eu tou pensando agora?
Ela: Que eu te conheço melhor do que você mesmo?
Ele: Errou feio!
Ela: E o que é então?
Ele: Que você é linda.
Ela:Rá! Não adianta apelar. Se você acha que falando as coisas
que eu gostava de escutar vai me trazer alguma nostalgia, engano seu.
Ele: Não é para trazer a nostalgia. É só pra ser sincero uma única vez.
Ela: Para com isso, garoto!
Ele: Parar com o quê?
Ela: Primeiramente, se afaste de mim. Não venha bancar o espertinho e tentar me beijar.
Já disse que você me causa nojo.
Ele: E quem disse que eu quero te beijar, menina????!
Ela: Não? E o que você quer então?
Ele: Você não deve ter percebido mas o teu cabelo tá entrando dentro da tua boca e eu só queria tirar!
Ela: Idiota! Será que você não é capaz de conversar sério ao menos uma vez?
Ele: Sim, sim, claro senhorita. Qual é a segunda parte mesmo?
Ela: A segunda parte é que você tem que parar com essa mania de achar
que só eu sou capaz de te devolver a paz. Você não sabe, mas quando eu resolvi ir embora
eu não levei nada que fosse seu. A tua paz não está em mim.
Ele: Se você diz, quem sou eu pra descordar né?
Ela: Terceiro, as nossas estradas estão há quilômetros de distância. Não adianta. Nada
que você possa fazer, vai me trazer de volta pro teu caminho. Mas o mundo é pequeno né?
Pode ser que a gente se esbarre por aí... Em outros carnavais. Mas só pra certificar
que isso não vai mais acontecer, durante o carnaval vou fazer um retiro espiritual. Não
quero ter que olhar pra essa tua cara patética novamente.
Ele: Só isso ou tem mais alguma coisa?
Ela: Calma, eu ainda não terminei. A conversa só termina quando eu der as ordens.
Ele: É? então fica conversando sozinha. Adeus.







Olá, leitores fofos! Fico muito feliz quando eu vejo as visualizações do blog. Continuem lendo e divulgado. Tou com novos textos saindo do forno! Alguns acontecimentos novos que me fizerem refletir bastantes e aumentar a minha vontade de escrever e contar para vocês. Espero que você gostem. hehe

Beijinhos,


sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Chega, por favor.



E hoje eu sei, não existe você inteiro sem mim ou eu inteira sem você. Então para com essa história de querer seguir e me deixar para trás. Pare de me olhar desse jeito, como quem não me conhece, como quem nunca me habitou. Se o teu corpo ainda tem o cheiro do meu, se as tuas formas estão moldadas as minhas, se a tua boca ainda sente o meu gosto. Vem comido, me dê a mão, as flores estão no caminho, baby. Vem, vem que se houver inverno, eu te prometo: eu trago o sol.

terça-feira, 31 de agosto de 2010

Eu sei que dói. Em mim também doeu!

E de nós dois a única coisa que restou foi metade de mim. Metade sem graça, metade sem gosto, metade malvada. Sem você, me restou apenas um álbum com páginas em branco, esperando fotografias que nunca mais virão. Foi um sonho, passou. Ah, cadê o amor? Achei que ele era demais, minha paz. Hoje não, hoje não, tua ausência se fez meu tormento. Meus olhos choram a falta dos teus, os mesmos que um dia foram tão meus.
A saudade me mostra o quanto é triste (sobre)viver. Ah, se eu pudesse apagava da minha memória, o teu sorriso junto com a nossa história...
E eu precisava tanto, tanto te ter ao meu lado, pra sempre, mas o "pra sempre" passou. E se alguma lembrança boa ficou, eu quero que ela passe também. Eu não quero dormir com a certeza que a tua presença e o teu calor, me faria sentir melhor. Queria uma máquina que pudesse me fazer te esquecer, nos esquecer. Uma máquina que apagasse da minha memória, essa certeza de que nada que eu possa vim fazer vai ser suficiente para te trazer de volta pra minha estrada. E por fim, eu só espero que a bússola da minha vida não esteja dentro do meu coração, eu não quero ter que seguir teus rastros durante os restos dos meus dias.

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

O que eu tenho a dizer sobre o inferno?



Primeiramente, quando voltei dele, me tornei muito mais madura.(Mas não desejo isso para ninguém!) Lá é tudo muito escuro, não conseguia sequer enxergar um palmo á frente do meu nariz. Tinha constantes alucinações e nada para mim era tão real, apenas o que eu acreditava. Acabei entrando numa cama de gato, e me perdendo dentro de mim mesma. Era tudo uma armadilha provocada pela ausência de amor próprio. Não queria escutar as vozes que vinham de fora, tentando me ajudar. Ouvia apenas o que eu queria acreditar. Sempre soube que uma mentira dita diversas vezes acaba se tornando verdade, e com essa falsa idéia, fui seguindo minha vida com uma rotina amarga. Até que de tanto me afastar de mim mesma, acabei enxergando os acontecimentos de um outro ângulo,minha vista foi desembaçando e se tornando mais nítida. Num certo momento me apresentaram a um espelho, e pude enfim ver novamente minha alma, e ela estava tão incolor, que por pouco não a reconheci. Sabia que não podia voltar ao passado. Mas resolvi moldar meu presente de acordo com os meus anseios e acabei encontrando o futuro que tanto desejava. Hoje eu me sinto bem, mais feliz, quem sabe, foi preciso descer ao inferno para poder enxergar o quão é linda a luz do sol. E hoje nada fala mais alto do que o amor que eu sinto por mim mesma, e foi preciso reaprender a me amar, para que pudesse amar de verdade as pessoas que estão ao meu redor.

" Ás vezes é necessário o sofrimento para que a gente possa dar valor a determinadas coisas, sabe? O que eu tenho a dizer, é que não encarem o sofrimento como uma cruz. Encarem como uma provação. Como uma oportunidade que a vida te oferece para você se tornar uma pessoa melhor no amor e na dor. São precisos alguns dias de inverno para que a primavera possa chegar bem florida. É isso aí, como já dizia Rodrigo Amarante e Camelo: Quem quer sempre ser um vencedor, perde a honra e a glória de chorar."

Bom final de semana para vocês, leitores. Eu amo esse cantinho aqui. Amo compartilhar meus sentimentos, seja ele qual for. Vocês são meus psicanalistas! kkk
Beijos no coração.

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Café com Política



   Durante o governo Lula a economia do Brasil cresceu muito. Vivemos hoje em um país "equilibrado" economicamente. Mas o desenvolvimento econômico é o bastante? Não. Você se sente seguro ao andar pelas ruas? A violência na sua cidade é algo comum? E no seu Estado? Pois é. A violência é fruto da má distribuição de renda. Ok. Lula conseguiu tirar muitas pessoas da linha de pobreza! Porque ele é bonzinho? Não. Primeiro porque ele não faz mais que a obrigação dele como presidente. Segundo, ele está criando novos consumidores. Pessoas dispostas a trabalhar em situações precárias e por qualquer salário, apenas para comprar uma televisão nova! Porque não se investe de verdade na educação do país? Porque isso custaria caro para os cofres públicos? Também não. Não se investe em educação no país, porque para os seus governantes é mais vantagem um povo ignorante. Pois é esse mesmo povo, que irá idolatrá-los por uma bolsa esmola! Lula colocou milhões de trabalhadores no mercado! Ele só esqueceu de dizer que esses trabalhos, em sua maioria, foram temporários. Serviram para por grandes empresas em pé e enriquecer empresários que já eram grandes. Logo em seguida esses trabalhadores voltaram a ser desempregados! “Lula criou o pré-sal e ele é nosso!” Há muito tempo a nossa querida Petrobras deixou ser nossa, e será questões de meses para que o “pré-sal” seja inteiramente privatizado! Para começar a exploração do “pré-sal” trará mais dores de cabeças para o país do que desenvolvimento! Isso porque como vocês já devem saber, a natureza implora por fontes mais limpas, e a exploração do pré-sal agredirá drasticamente o meio ambiente. Depois porque será piada dizer que as rendas geradas por ela serão investidas em desenvolvimento social, como a educação, por exemplo. Isso é MENTIRA. Sem contar, os conflitos que podem acontecer entre os Estados brasileiros que querem sua parte lucro. Fora os nossos irmãos Norte-Americanos que se fazem de tudo pelo petróleo do Oriente Médio, que tem coragem de enfrentá-los, imagine o petróleo do povo brasileiro, que só é capaz de abaixar a cabeça?!
Ah, mas nunca na história do país, houve tantos concursos para cargos públicos. Mas “peraí”! Quem ocupa esses cargos? São os miseráveis que não tem escolaridade nenhuma? Não. É a classe média que tem uma base forte na educação. O pobre, que já era pobre, continua sendo. O rico que já era rico, continua mais ainda! Você é classe média e está feliz com a situação financeira da sua família? Parabéns. Espero que ninguém dela seja vítima da violência. Pois como eu já havia tido, a violência é fruto da pobreza.
- Ah, mas quem rouba é safado, tem má índole, Lula não tem nada a ver com isso!
Engraçado... Talvez ninguém tenha má índole em Cuba, visto que ninguém precisa roubar.
- Cuba? Deus me livre, aqui no Brasil eu posso gozar da minha liberdade!
Que liberdade, pelo amor de Deus? Você tem liberdade de ir e vir? Não, pois todo dia que você sai na rua, está pondo sua vida em risco! Ninguém sabe quando será vítima de um assalto, ou uma bala perdida!
Para os cofres públicos é mais vantagem remediar, investir na pseudo-segurança da classe média, como carros blindados, muros altos, cercas elétricas,seguranças particulares e por aí vai!
Eu falei tudo isso, para dizer que Desenvolvimento econômico nem sempre gera desenvolvimento social. Mas todo desenvolvimento social, gera sim desenvolvimento econômico. O Brasil, como qualquer outro País precisa de EDUCAÇÃO de qualidade!
Precisamos que o pobre que mora lá na favela, tenha as mesmas oportunidades que você que estuda num colégio particular. A gente não quer só comida, a gente quer EDUCAÇÃO,SAÚDE, ESPORTE E ARTE! Dê uma chance a sua vida, a vida do seu próximo, do seu irmão, da nossa natureza.


" O Brasil é o único país onde o pobre é de Direita!"

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Dá um "time"!

E esse sono que não chega? E essa xícara de café, que vez ou outra voltar a ficar cheia. Só minha alma que continua vazia. Eu sinto falta de alguém, sim. Confesso, mas eu não quero mais amar ninguém. Não. Eu já conheço bem essa dor, você me fez virar pós-doutora nela!
"Semanas passaram, e nada de você dá notícia. De repente, quando eu abro a porta da minha casa, te vejo, com essa cara de cão sem dono, dizendo que o que passou, passou!
Mas o amor ficou. Que amor? Amor é comodismo? Amor é individualidade? Amor é não dá notícias por semanas? Amor é negar uma migalha do teu carinho e atenção? Que tipo de amor é esse, que são necessárias súplicas, para que ele enfim possa oferecer o que deveria ser dado espontâneamente? Por favor, cresça de uma vez por todas! Sabia que foi difícil organizar o caos que você deixou dentro de mim? Não, eu ainda não consegui cicatrizar todas as feridas. Mas hoje eu estou feliz, e quase que curada. Daí você volta, e diz que sempre me amou, e resolve culpar a sua imaturidade. Veja bem, meu caro. Eu sou completa e por isso sou inteira. Logo ,não aceito metades, tampouco as tuas metades. Não é porque toda vez que você fica online no msn e o meu coração acelera ou o fato de algumas músicas me fazerem lembrar você, que vai reverter nossa situação. Não me venha com essa de : Ah, meus defeitos me diferenciam dos outros rapazes! Foram os mesmos (defeitos e rapazes) que me fizeram te querer bem longe de mim, da minha vida, do meu presente, meu futuro e mais ainda do meu coração. Me deixa em paz, por favor! Não vale a pena viver só de ilusão! Já dizia a nossa vã filosofia: Pior do que nunca achar o cara certo é continuar com o errado."


Pois é, esse texto vai para as minhas leitoras! Meninas, aprendam desde já, que o nosso primeiro amor terá que ser sempre o próprio! Só quem ama a si mesmo, é capaz de amar o outrem de verdade(no geral)! Não deixem nenhum rapaz passar por cima de você e dos seus sentimentos, valorizem-se, a maioria dos homens é por natureza cafajeste, e acreditem: nenhum deles será digno do amor de vocês.

Beijão, boa sexta feira!
vou dá uma diferenciada no blog, preciso voltar a escrever com mais frequência e a melhorar os meus textos também #confesso!
:*

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Encruzilhada



Ele: Oi?
Ela: Oi. Por um momento achei que você tivesse ido para todo sempre.
Ele: Essa vontade existiu em mim por algum tempo. Mas não tive coragem, fui covarde.
Ela: Covarde?
Ele: É. O numero do teu telefone não sai da cabeça. Em qualquer lugar que eu fosse, você estaria presente, não adiantaria  fugir...
Ela: Por que isso é tão ruim, se eu sempre quis permanecer ao teu lado?!
Ele: Você não me entende.
Ela: Entendo sim. Por te entender tanto, te deixei partir.
Ele: Eu não queria.
Ela: Não queria o quê?
Ele: Que você me deixasse ir.
Ela: Eu te magoei e não tive outra escolha!
Ele: Você me magoou mais, quando abriu mão da gente!
Ela: Quando foi embora eu desejei tanto, tanto... Ainda que inconscientemente, que precisasse, que se arrependesse, que ficasse, que se encantasse, que tivesse um lapso e concluísse que era eu a pessoa certa pra colocar um fim nessas suas buscas, na sua ânsia, na sua descrença, também na minha descrença, nas nossas esperas. Algo assim...
Ele: Eu gosto de você. Muito!
Ela: E por que então você se foi?
Ele: Eu nunca fui.
Ela: É, mas você resolveu reaparecer tarde.
Ele: Eu sei. reapareci na hora errada e no lugar errado. Vou ser sincero: eu não gosto dele, e não gostarei de nenhum outro.
Ela: Entendo. Mas ele se esforça para tornar minha vida colorida.
Ele: Ele lhe faz feliz como eu gosto que você esteja. Eu precisei perder você,
para perceber que a vida é se arriscar, até mesmo nas quedas. Eu resolvi nunca mais resistir, me resistir.
Ela: Eu não acredito no fim.
Ele: E nem deve. Nada é pra sempre, nem mesmo o fim, acredite no infinito.
Ela: Talvez tenha sido melhor assim...
Ele: Não! É claro que não. Teria sido melhor se você tivesse oportunidade de me descascar. Eu nunca admiti, mas você conseguiu invadir minha alma com um só olhar. Por isso que eu nunca te olhei fixamente, minha pequena. Me perdoe.
Ela: Eu nunca perdoarei as circunstâncias, isso sim! É melhor mantermos uma distância segura. Não sei como reagirei da próxima vez que te ver! Não sei se vou me controlar ou se quero me controlar...
Ele: Você tem razão. Nessa história só tem lugar para dois corações feridos. Não podemos envolver mais nenhum...
Ela: Só você é capaz de me entender perfeitamente...
Ele: Claro, querida. Você é o meu reflexo. Adeus, mas agora preciso ir de verdade! Mas antes de tudo eu quero aprenda, que o que é verdadeiro amor nunca volta, porque ele permanece.
Ela: Ei,espera, pra onde você vai? ei... ei...ei...........


" Ele deu espaço para que ela arrumasse alguém para a vida inteira, como ele não quis."

O destino tem essa mania, nos prega peças que nem sempre são divertidas. Algumas pessoas deveriam permanecer sempre em nossa vida. Mas não. As circunstâncias tratam logo de transformá-la em vírgulas. Vírgulas doces e coloridas.
Com você foi assim mon amour.
A grandeza da sua ajuda, passa despercebida por você. Mas por mim não!

sexta-feira, 23 de julho de 2010

Não me leve a mal...



Mas eu tava ali, parada, criando coragem para dizer que te amo mais que tudo, mas não mais que a mim mesma. Posso te mostrar que o nosso futuro junto, pode ser melhor, se o vivermos individualmente, existindo em função não dos nossos sonhos, mas do meu e do seu.Cada um com a sua bússola, sem misturar as coisas, entende?
Sabe, eu preciso de você, no meu dia,na minha cama,no meu coração na minha vida. Mas eu não seria a mesma se precisasse mais de você do que de mim.

Amor platônico



        Teve uma parte do livro de Paulo Coelho "O Alquimista" no qual falava de um comerciante de cristais que tinha um grande sonho de conhecer o Meca, e por isso trabalhava noite e dia. Mas não pra realizar o seu sonho. Porque segundo o comerciante,se ele conhecesse o Meca,não iria ter mais uma razão pra viver!Isso o tornaria infeliz! Daí me lembrei de você! Bateu uma certa nostalgia da velha infância..
      Dos velhos tempos,da tua sombra iluminada pela lua,dos teus sorrisos extravagantes, das tuas perguntas sem cabimentos, da tua capacidade de me tirar do sério e de me fazer dormir sorrindo. Daí,comecei a entender o que eu sinto por você! Cheguei a conclusão que  eu não te quero pra mim! O que eu não quero, é deixar de cultivar o meu amor por você. Eu descobrir que ele é a minha razão!
    É ele que me faz confundir tua boca em outras bocas, procurar em outros sorrisos o teu,tentar achar mínimas característica  tuas em cada rapaz nov que eu conheço. Isso faz com que eu os admire. Na verdade eu não sei se os admiro ou te admiro em excesso! Vivo mandando beijos pelo vento com a sensação que quando alguma brisa tocar tua face,você irá sentir todo o meu carinho...
     Não é você que me torna uma pessoa melhor. É o amor que eu sinto por você que me faz evoluir! Se um dia eu te ter,eu vou perder toda minha razão de continuar algum caminho. E se eu perder em alguma esquina o amor que eu tenho por você, posso perder também a chance de encontrar com a felicidade que existe dentro de mim, e isso sim seria uma perda lastimável. Eu te amo, mas não te quero, entende? Sei lá, mas é isso que eu chamo isso de amor platônico...

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Qual foi?

       O que você quer afinal? Me diz o que você quer de mim. Eu não aguento mais essa tua indecisão. A certeza do “quase” tá me corroendo por dentro. Eu te ligo todo dia. Você diz que a sua vida não seria a mesma sem a minha presença. Sente a minha necessidade e não me deixa ir. Diz que quer, mas não faz por onde. Fala que não é só amizade? O que é então? Não aguento mais essa tua mania, de me querer só em pensamento. Eu sou real, eu sou concreto, palpável, eu tenho gosto, sentido, carne, osso e alma.
         Antes te dormir eu sempre te desejo, penso em nós dois, te imagino ao meu lado, faço planos para o final de semana, que por sinal sempre acabam frustrados. Isso me dói ,sabia? Saber que mais uma vez não vou poder te ver. Saber que por mais uma semana meu sono vai ser pesado. Cara, cheguei a conclusão que isso o que você  dize sentir não é amor. Não, não é. Se fosse você não criaria barreiras ou  enxergaria distâncias ao ponto de impedir que pelo menos a gente se visse . Eu te quero comigo, cansei de deixar isso claro. Eu te amo por fora e por dentro. Te amo em cada momento. Mas se você não sente o mesmo, por favor, não me iluda mais, não cria expectativa irreais. Ou você quer, ou você não quer. Saia de cima do muro, e de preferência espero que você caia no meu quintal. Ou você me deixa ser feliz ao seu lado, ou me dê minha carta de alforria e me permita ser feliz ao lado de outra pessoa. É que eu não quero fazer parte da tua coleção de desamores, ou pior, de quase amores.


terça-feira, 6 de julho de 2010

O "amor" é tudo?



Nos faltava tudo. Exceto o amor. Ele estava lá, marcando presença,confundindo nossas mentes e impedindo que olhássemos adiante. Faltava compreensão. Qualquer motivo banal era mais que suficiente para transformar nosso relacionamento numa verdadeira guerra. Mas o amor nos sobrava. Faltava companheirismo. A nossa individualidade era tão grande, que impedia os nossos mundos de se tornarem homogêneos. No entanto o amor ainda estava presente. Agíamos como verdadeiras abelhas africanas. Nada de palavras doces, apenas ferroadas dolorosas o bastantes para serem sentidas até nas almas. Faltava admiração, estabilidade emocional, respeito, carinho, amizade e acima de tudo coragem. Coragem para perceber que só o amor não bastava. Era preciso muito mais para saber que só é possível ser feliz deveras, se enxergar que a linha do horizonte vai muito além do que se vê e o amor é muito além do que se diz.

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Uma dose de amor puro e sem gelo



Você está em todas as coisas: nos meus livros, nos meus discos, nas minhas roupas, no meu novo penteado, no meu sorriso demasiado, nas piadas em que eu conto, nos meus sonhos, no meu presente, no meu futuro. Você está no amanhecer do dia, no pôr do sol, no verde da grama, na chuva chegando...
Eu te enxergo dentro de mim, e fora também. Eu te vejo no meu corpo que tá moldado ao teu, nos sorrisos do nosso filho que ainda não nasceu. É o teu nome que eu chamo quando estou sozinha, é a tua falta na cama que eu sinto. A tua presença está em todas as partes, em todos os cantos da minha alma e nas poucas curvas do meu corpo. Eu poderia viver sem você, talvez. Mas é certeza, que eu não seria tão feliz, do jeito que eu sou. Eu sou a sua menina e você é bem mais que o meu amor. Eu te amo hoje e sempre, da sempre,sempre sua Jéssica Miranda.






Se for para escolher entre a paixão e o amor. Escolham o amor, ele quando é verdadeiro,transmite paz! Bom começo de semanas para vocês leitores fofos!

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Uma prova: uma certeza!



Não somos nós que estamos em crise. Sou EU que estou. Nós sempre estamos muito bem, obrigada.Porque eu sempre passo por cima do pronome EU, para que o pronome NÓS, esteja sempre no presente perfeito.Só que o Nós, não é feito apenas do TU. Se o EU não vai bem, o NÓS pode passar a não existir mais. E eu não quero nem pensar nessa possibilidade. Por isso tou cuidado bem do "eu" para que NÓS possamos ser felizes não só apenas aos olhos do TU. Tou com o vazio imenso dentro de mim, eu não me curei, eu sei disso e no fundo você também sabe. Tou sempre empurrando com a barriga, e agora estou frente a frente com o abismo. Você? Para você tudo está às mil maravilhas. Afinal, eu nunca te deixei ficar no frio.Por diversas vezes, tirei meu cobertor,para te proteger. E por ter ficado sem protetor nenhum, fiquei vulnerável as consequências do tempo. O tempo é instável, sabemos disso. Ultimamente tá fazendo muito frio, e eu corro o risco de ficar fria.Tou sentindo falta de proteção, por isso dessa vez, eu não vou abrir mão do EU, chegou a hora do TU perceber que o EU tem que ficar acima de tudo, para que NÓS possamos continuar junto e felizes.Dessa vez, eu não vou te proteger. Quem sabe só assim você é capaz de perceber, que eu também existo. Se eu te faço constantemente feliz, ultimamente isso não tá sendo recíproco. O tempo passou muito rápido né? E até hoje eu espero que você passe por cima de si mesmo, para eu poder acreditar que é amor, de ambas as partes. O teu limite não tá me satisfazendo mais. É preciso ir além dele, para eu acreditar de verdade no sentimento que tu chamas de amor.

sábado, 5 de junho de 2010

Não é você. É o medo!

Há um tempo atrás estive pensando que o amor não fazia parte do meu destino.
E por tudo que eu passei, até agora, tive certeza disso.
Tudo começou pelo menininho bonitinho do fundamental, ah, ele era lindo, mas nunca
olhava para mim, preferia sempre as brincadeiras de moleque, do que reparar no meu vestido novo.Depois veio o melhor amigo, eu nunca soube dizer exatamente o que sentia por ele, ou o que ele sentia por mim...só sei que o amava, e por isso, sofria, sofri que nem uma condenada. Ele se foi, e só me restou as lembranças.
Daí então, aprendi que sinônimo de amar era sofrer. Dezenas de rapazes passaram pela minha vida, e quando resolviam sair dela, sempre levavam algumas lágrimas minhas junto com as suas bagagens. Até que eu fiquei com medo.Sofrer dói, eu sei muito bem disso. saudade? Essa dói mais ainda! Agora você aparece, com esses olhinhos brilhando, esse jeitinho fofo dizendo que precisa me amar. Meu coração aperta, meu estômago embrulha e o meu peito sufoca. Tou numa encruzilhada de sentimentos, atrás de mim existe um mar de decepções, e na minha frente existe a esperança de um futuro que pode ser bom. Mas e se não for? Quem é que vai me proteger?! Quem vai segurar minha mão quando você resolver largá-la? Quem vai me abraçar quando eu me sentir sozinha?!
Você é lindo. Sabe tudo que eu sempre andei procurando?! Eu encontrei em você. Meu medo é que um dia você vá embora e leve consigo tudo que eu sempre quis, e eu que estava sempre a procura de algo, acabe ficando perdida.

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Se a vida fosse fácil eu não nascia chorando



Não tenho mais palavras pra descrever o que eu sinto. Não sei o nome que se dá a um sentimento misturado com cansaço e revolta. Por favor, se alguém souber me diga! Tou precisando explicar melhor o que eu estou sentindo. Eu não tou aguentando mais! Sabe quando você chega ao limite? Pois é, eu cheguei ao meu. Nada de corpo, nada de alma, nada de esperanças, nada de nada!
Eu sei muito bem o que eu vou fazer da minha vida, e com a minha vida.
Sei por onde começar, sei os caminhos que eu vou percorrer, já tratei de desenhar
o mapa do meu destino, e ele tá bem guardado dentro do meu coração. O foda, é que eu não tou conseguindo tirar ele de lá! Não consigo, não porque eu não quero, o que eu mais quero é isso.
Mas é por medo, medo de desatar todos os laços que eu já fiz, medo do medo que o medo dá. Medo de me perder, medo de não conseguir me encontrar. Medo, medo de me achar.Medo de que nada do que eu planejei dê certo, medo de me decepcionar, medo de terminar sozinha,medo de não conseguir mais amar. Acontece, que durante toda a minha vida, eu fui boazinha demais,fofinha demais, sempre tentando entender o porquê de algumas pessoas me machucarem, tentando compreender cada atitude, cada palavrão, cada tapa na cara que levava. Sempre sorrindo pra vida, guardando minhas tristezas comigo mesma, para não incomodar as pessoas ao meu redor, afinal elas já tem
problema demais. Só clamei a Deus, quando realmente eu não tinha mais saída, não tinha solução,e nos finais da minha oração, eu sempre pedia desculpas por tá incomodando ele com as minhas preces, afinal o que não falta no mundo é problema pra se resolver. E eu não queria ser mais um.
Mas é exatamente assim que eu me sinto: um problema. Sou mais despesas para aos meus pais, mais um estresse para minha tia, sou a neta chata para minha vó, a menina imatura que arruma confusões para as amigas, sou as horas de sono que o meu namorado desperdiça.
Tou começando a achar que eu sou um peso pra mim mesma.Isso me dói.
Como eu queria tá longe, como eu queria apenas me pertencer,porque só eu me compreendo. Se eu compreendo todo mundo, porque não me compreender também?! Seria injusto comigo mesma. E eu sou a única pessoa nesse mundo que não pode ME tratar com injustiça. Sabe, hoje em dia a saída de emergência, não me assusta mais! Chegou a hora de dá um chega em tudo, entende?! Chegou o momento de falar mais alto, de fazer prevalecer minhas vontades, minhas opniões. Chegou o momento de me colocar em primeiríssimo lugar e mandar todos os cidadões para a puta que o pariu! Porque se eu não abrir aquela droga de porta da saída de emergência e tirar o mapa do meu futuro de dentro do meu coração, eu jamais vou ter a oportunidade de ver as ondas do mar
levando embora as mazelas da minha alma, e me trazendo uma vida nova, que nasce brilhando como um novo amanhecer do dia.

Ah, e me descupem pelo desabafo. hehe

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Eis a questão!



Não estou sendo uma boa companhia, nesse momento. E não escondo isso de ninguém.
Ultimamente estou cheia de excessos, mas eles nem sempre são tão bons. Algo há mais me transbordaria. E eu não gostaria de por para fora, o pior que existe em mim. Minha vida, está se parecendo com o meu guarda-roupas.
Cheio de roupas, porém, mais da metade delas não me servem. Estão ali, só para fazer volume, dando a impressão, que ele (o guarda-roupas) tem alguma excelente utilidade.Mas é apenas aparência, e pobre dele. Minha vida está assim, cheia de coisas, pessoas, atitudes, que não me servem mais, nem se encaixam dentro
dos meus planos para um futuro próximo. Isso tudo tá me fazendo mal, tou me sentindo pesada, meus ombros não estão aguentando . Preciso me livrar disso. Quero voar, sabe? E como eu vou conseguir, se o meu tornozelo junto com o meu calcanhar-de-Aquiles está preso a um universo de excessos bestas e fúteis? Os dias passam, e eu me sinto suja, mesquinha, banal e fútil. Talvez tudo isso, não seja apenas culpa minha.
Eu, e todas as pessoas que habitam esse planeta, no fundo, sentimos a necessidade manter a aparência, seja ela qual for. Mas do que isso me serve? Durante anos, tive que me comportar de um jeito, me vestir de outro, manter as unhas bem pintadas, ficar com meninos lindos, conservar o cabelo extremamente liso, ter um site de relacionamento com muitas pessoas, das quais,apenas poucas conheço,frequentar lugares badalados.
Tudo isso pra quê? Para que eu convença a mim, e a todas outras pessoas, de que tenho alguma utilidade?!
Acontece, que eu não tou tendo utilidade pra mim mesma. Guardei em um canto, as coisas que eu gostava de fazer, vestir, frequentar. Porque elas não eram tão legais, como as das outras pessoas! Quanta babaquice,
quanta caretice! Isso sim, é ser careta! É você deixar de viver, ou aceitar uma vida que o meio que você vive lhe impõe, apenas para ser legal! Cansei, CANSEI DISSO TUDO! Chega!!!
Vou voltar a vestir minhas jeans folgadas e surradas, minhas camisetas excêntricas, pintar minhas unhas de vermelho, usar sapatos fora da estação, comer pipoca com katchup, tomar refrigerante sem gás, conversar sobre política com os velhos amigos,ir a praia todo dia só pra ver o mar, conservar a cor e naturalidade do meu cabelo e ler Nietzsche numa sexta feira, ao invés de tá num bar badalo cheio de pessoas excessivas,efusivas e sem utilidade alguma . Ter menos e ser mais, esse voltará a ser meu novo e velho lema!Estou com saudades de sentir a delicia do gosto de ser quem eu sou, de ser o que me faz bem.

sexta-feira, 7 de maio de 2010

O tempo é o senhor?



Essa sociedade biruta, vai acabar ficando maluca, com tanta coisa pra fazer.
Corre para um lado, faz isso do outro, confunde trabalhar com viver.
Esquecem de subir na pedra mais alta, pra contemplar o canto, o manto, seja lá o que for.
Não contemplam, não almejam, nem percebem, e a essência se desvanece.
Os milagres acontecem, e ninguém sequer percebe que durante a noite o dia, eles não cansam de se mostrar.
E as pessoas continuam nessa agonia de viver pra trabalhar.
A flor nasceu, o dente cresceu, a folha caiu, o céu mudou de cor e ninguém sequer notou.
As contas chegando, continuam trabalhando, seja lá o tempo que for.
O tempo passa, passou. E com ele levou tudo que por falta dele,
não conseguimos dá valor.


Gente faz tempo que eu não posto, mas eu não abandonei o blog não!!!
Um dos motivos para eu postar esse texto hoje, foram aos observações que eu tenho feito
durante esses dias. O QUE VOCÊS FAZEM COM O TEMPO? Vocês contemplam a vida? as pessoas? o amor? Pra quê tanta correria?! Tanto trabalho, tantas coisas... Você estuda num colégio bom, tem uma formação universitária boa, se submete a trabalhos "escravos" pra quê? pra pagar conta? qual é o real sentido da vida? Olhem o céu, reparem o mar, há tanto mais pra viver, pra mostrar. Ser feliz é bem mais! Por favor, não desperdice o seu precioso tempo com coisas fugazes! VAMOS AMAR (antes que o mundo acabe) hahahah

voltarei a postar mais textos com frequências não se preocupem!

segunda-feira, 5 de abril de 2010

Segundo Round



E mais uma vez, aqui estou, sem saber o que fazer. Tendo que passar por cima de mim, dos meus sentimentos, mas tudo em nome do amor. Mas que porra é esta? O que é o amor, pelo amor de Deus? Acho que passei muito tempo da minha vida, confundindo amor com educação, carinho e amizade. Talvez, isso faça parte, mas não é tudo. Eu sei, ao menos isso eu sei, o amor deve ser bem mais. Hoje, eu me acordei, e fui direto olhar no espelho, fui ver se a minha alma estava no mesmo lugar, mas as lágrimas que caiam dos meus olhos, não me permitiram isso. Dizem que decepção não mata, mas dói pra caralho! E esse palavrão utilizado, é só pra enfatizar o quanto eu estou sofrendo. O quanto eu estou sangrando por dentro.Dessa vez, o outono chegou mais cedo pra mim. Todas as flores do meu jardim, junto com os meus planos, desapareceram com uma rapidez inacreditável. Certo dia me disseram: “Não crie expectativas, elas podem te trair,e isso seria frustrante”. Sábias palavras, uma pena que elas tenham vindo tarde demais. Então foi isso que aconteceu. Minhas expectativas me traíram. Traíram porque elas não me pertenciam apenas. Eu que fui tola, mudei a fechadura do meu coração, mas esqueci a chave em qualquer lugar, onde qualquer sujeitinho poderia facilmente entrar, dizendo uma a palavra chave: eu quero te amar, me deixa te fazer feliz. Eita coração burro!Se deixou enganar porque qualquer carinho besta. Eu que pensei que ele tava bem protegido. Mas agora é tarde, tarde pra lamentar. Eu não gosto de lamentar. Mas eu sou apenas uma garota, por mais que eu tente disfarçar tudo que eu sinto por trás do meu manto, eu sou fraca e indefesa. E não demora muito para que eu possa me sentir sozinha novamente, ao ponto de derramar disfarçadamente algumas lágrimas. A desilusão dói meu caro, espero que nunca saibas o quanto.

sábado, 3 de abril de 2010

Casais de um conflito



A palavra e o silêncio
A paz e o tormento
O desejo e descontentamento

Todos são casais de um mesmo tempo

O amor e amargura
A fruta e a verdura
O começo do infinito
O sorriso do aflito
A paixão do insensível
O amor do bandido

Os casais perfeitos de um conflito

O doce e o salgado
O amor inabalável, abalado
O beijo do vampiro
As imperfeições dos traços
Tudo desordenado
A vida seguindo trilhos desconhecidos
Formando os perfeitos casais de um conflito.


Cara, para aprender a amar de verdade, mesmo, na dura, é preciso aprender primeiramente que ninguém é perfeito pra ninguém. Ela é perfeita, mas usa umas roupas estranhas?
Ele é lindo, mas ronca quando dorme? A vida é isso. É você aprender a conviver com as diferenças e respeitá-las. Pare de achar que os romances escritos por Manoel Carlos, são os únicos que valem a pena. Não é por aí, não. Olhe pro seu lado, veja quem está ao seu redor. Esse amor de novela é imaginário. Juliana Paes ou Zac Efron, ou seja lá qual artista for, nenhum deles sabem quem você é. Então pare de procurar em cinco mil rosas, o que você poderia achar em apenas uma. Acredite, conviver com pessoas diferentes de você, te trará mais aprendizagem do que conviver com alguém igual a você. Imagina só, tu gostas de macarrão e filmes de terror. Teu companheiro ou companheira, TAMBÉM. Perfeito isso, hein? Não, não mesmo. Imagina ter que passar a vida toda vendo filme de terror e comendo macarrão. Ninguém merece! Tente ver a vida por outros ângulos, aprenda a conviver com as pessoas, e tirar uma lição boa de tudo. A vida é isso, meu caro. É preciso aprender a viver!

sábado, 27 de março de 2010

O meu dia sem você tem 48 horas.

Eu estive andando por aí, e pensei em você. Para falar a verdade eu pensei em nós dois. Pensei no quanto fomos felizes e acreditamos que tudo aquilo que sentíamos seria para sempre. Mas pelo visto o "pra
sempre" acabou, né? Aqui estamos nós, sem saber o que fazer, sem saber qual o caminho pegar. Eu realmente não sei em que espaço do tempo nos perdemos. Quem deixou o "amor" se acabar? Quem permitiu
essa tamanha crueldade? Era você que eu queria do meu lado até os fins dos meus dias. A cama que deveria ser nossa sente muito a sua falta, viu? Os nossos filhos que ainda não nasceram,também. A sua ausência
é sentida em cada canto da casa, na minha alma e principalmente no futuro que deveria ter sido, mas não foi. Não foi,não porque eu não quis ou por falta de coragem minha. Nada disso! Eu sempre quis,e muito, eu só não sabia como fazer. Eu tive medo, sabia? Tive medo de me perder, estando com você. Medo de não saber mais quem eu era ou quem fui. Mas desde que você saiu da minha,eu nunca mais me encontrei. É tudo bem pior sem você. Eu que achava que era pretensão da sua parte,me dizer o que era certo e bom para mim... Agora eu olho ao meu redor e não consigo enxergar ninguém que conheça minha alma tão bem quanto você.
Deve ser porque ela também era sua. Só agora eu pude perceber que foi quando eu estava contigo, que o meu "eu" era verdadeiro. Agora não, eu estou quase acreditando que a minha vida se transformou
numa sobre vida. Pra falar a verdade, eu tenho certeza disso. Agora eu preciso ir,vou ocupar meu dia com o trabalho que não me acrescenta nada,nunca. Em pensar que eu já cheguei a encher minha vida
de amor, agora eu a encho de cafeína. É, é isso aí.


terça-feira, 23 de março de 2010

Desarmando-se

E depois de tudo aquilo que viveu,resolveu proteger seu coração. Passou a usar escudos e privou-se de qualquer emoção. Mas numa noite fria e sem graça,deixou-se envolver por um nobre e escroto cavalheiro, que aproveitou de um breve descuido seu e num diálogo empolgante conseguiu desarmá-la com tamanha facilidade,como se a conhecesse há séculos. Conseguiu torná-la mais uma vez vulnerável. Ela não conseguia evitar a novidade que no fundo já conhecia bem. Então com tamanho pragmatismo ele conseguiu ultrapassar as barreiras do seu coração.Ela que sempre se guiou, tava se deixando levar em direção a uma espécie de trampolim. Seu coração estava batendo mais forte a cada momento. Resolveu chamar aquilo que sentia de ansiedade,porque não via a hora de pular daquele trampolim e mergulhar num mar de novas sensações. Mas no fundo sabia que era bem mais que aquilo, que era impossível uma ansiedade lhe fazer tão bem e tão feliz,no fundo e no superficial ela sabia muito bem que era mesmo paixão.

Verbo Tratar

Tratando de vestir o meu melhor sorriso
Tratando de estudar
Tratanto de saber o que é a vida
Tratando de aprender a amar

Tratando de trilhar um caminho
Tratando de não ir sozinho
Tratando de seguir em frente
Tratando de ser mais contente

Tratando de sonhar
Tratando de realizar
Tratando de me despentear
Tratando de duvidar

Tratando de tirar os pés do chão
Tratando de pôr em ação
Tratando de seguir a canção
Tratando de não viver em vão

Tratando de me vestir
Tratando de me despir
Tratando de não apenas existir.

Diariamente



[...] Logo assim que acordei, meio sonolenta ainda, pude ter certeza que sonhos não terminam necessariamente em finais felizes.Que muitos deles acabam se tornando pesadelos. Após me recuperar do medo que insistia em permanecer no meu peito de que aquilo nunca teria fim, um doce anjo sussurrou alguma canção em meus ouvidos. Me dei conta de que a madrugada enfim havia acabado. Abri a janela do quarto,deixei que a luz do sol penetrasse em meus olhos e que os cantos dos pássaros enobrecessem minha alma. Sim, permiti que um novo e lindo dia voltasse a brilhar para mim."